terça-feira, janeiro 06, 2009

Dos Relacionamentos

Esses dias estive lendo um livro chamado "A Cabana". Sabe aqueles sucessos que tu começa a ler e pensa "Nossa que grande porcaria de livro", mas continuei lendo (continuo mesmo, eu consegui terminar "O caçador de pipas"). Começou a virar auto-ajuda. Nada contra auto-ajuda mas pensei estar lendo um livro de ficção. Eis que entro numa parte em que ele começa a tratar a "religião" como base para relacionamentos e não uma instituição ecumênica.
Ae é que está o ponto. Os personagens do livro (Deus, Jesus, Espírito Santo e o "mocinho") tratam todos como se fossem iguais e com isso, dão uma base de relacionamento que eu sempre imaginei ser o correto a se pensar sobre essas entidades. A idéia de hierarquização que é passada ,não só pelo catolicismo mas por todas as religiões, é inválida. O bacana é que a Santíssima Trindade diz que os relacionamentos são baseados em respeito e honra e por isso muitas vezes "descemos um degrau" para nos relacionarmos, ignorando os defeitos. Claro que isso é muito fácil num ambiente familiar, onde você é obrigado a amar, ou num ambiente entre amigos onde o respeito sempre prevalece e um sabe o limite do outro. O problema está quando o respeito e a igualdade termina e começa a hierarquização que transforma os relacionamentos em instituições com regras e patamares. Esse conceito de que na verdade a religião é baseado num relacionamento de confiança e não subordinação sempre existiu para mim. O fato de um Deus ser de amor e ao mesmo tempo exigir a penitência sempre, e sempre devemos ficar de joelhos é meio bizarro.Isso não existe, a própria Biblia diz que Jesus veio e limpou o pecado do mundo. E mesmo com isso estamos sempre buscando o perdão de alguém sendo que ele sempre está ali sem precisar ser pedido. Claro que isso é minha opinião.
Mas qual a diferença da Instituição para os Relacionamentos? O casamento não é uma instituição e ao mesmo tempo um relacionamento? Não. Felizmente não é. Enquanto um relacionamento é baseado em confiança e respeito, uma instituição baseia-se em regras e te dá uma falsa idéia de liberdade. Hã, e aonde você quer chegar? O orkut fui transformado de um site de relacionamentos para uma "instituição". Você confia em sua parceira ou parceiro (sei lá sua opção sexual), mas ao mesmo tempo se irrita com um scrap de "oi" de um cara ali. Um depoimento então nem se fala. A confiança é nula, e a REGRA é não desrespeitar e se desrepeitar que seja muito bem feito. Isso não é relacionamento. É viver baseado em regras. Claro que isso não serve só para um relação amorosa.Isso serve para todo tipo de relação. Claro que os amigos vão te decepcionar várias vezes. Claro que tudo nem sempre vai ser do jeito que você quer. Mas essa é a graça, conviver aceitando apesar das diferenças. Para você ter uma idéia do que estou falando, é bem simples. Imagine-se com um filho e ele te decepciona. Seja com drogas, seja na escola, seja de qualquer forma. Você não vai amar ele menos. Outro exemplo? Você tem vários "melhores amigos". Você não gosta de 1 mais do que outro. Você gosta cada 1 de uma forma e não tem uma regra. "Ah meu amigo tem que fumar marlboro vermelho e andar de skate".E é isso que o orkut acabou destruindo. Criando filtros ridículos para que as pessoas apenas procurem semelhantes e não procuram conhecer o outro lado. Mas isso tudo eu já falei. Só estava argumentando um pouco mais. Sobre relacionamentos claro. Os reais e os de mentira.
Saudações!

7 comentários:

wendell penedo disse...

O engraçado é que nessa busca por semelhanças, a gente acaba se encantando mais com as diferenças. A nossa sociedade homofóbica, que só desgruda dos outros machos na hora do sexo, que o diga.

Mitielli disse...

Caracules era tudo q uma certa pessoa precisaria ler vou mandar p ela ate loko parabens anjo

Nane disse...

bem pensado.Gostei mesmo.

beijos, Ivan!


ah! eu também consegui ler o caçador de pipas kkkkk
=]

Ana. disse...

Esse paradoxo da Igreja sempre foi o motivo da minha briga com ela.

Aliás, jogar os filtros fora e descobrir diferenças costuma ser tão mais gostoso..

Diego Henrique disse...

Bom, eu concordo cinicamente com esse texto seu.
E explico:
Eu acho que tem muita relevância o que você disse sobre a igreja, sobre as relações interpessoais e sobre a instituição do casamento.
Acho que hoje em dia as pessoas procuram por uma satisfação imediata e ignoram valores tão importantes para o relacionamento, seja ele de qualquer espécie.
As pessoas tentam mostrar rótulos, esses "filtros" existem não só no orkut mas também na vida real. A partir do momento em que você coloca uma camiseta de uma determinada banda, ou que você adere a um determinado estilo de roupa você está automaticamente ativando seu "filtro".
Essa é uma espécie de proteção que as pessoas estabelecem para poder manter-se em um grupo e poder ao mesmo tempo, criticar o grupo alheio, como se aderir a isso ou aquilo lhe desse uma falsa sensação de poder, que age instantâneamente. Pense nisso como o espinafre do Popeye, é só dizer eu sou "tal coisa" e sair hostilizando outras pessoas por aí, baseado em seus gostos pessoais.
Cada vez mais nossa sociedade se aproxima dos animais, agora temos bandos, manadas, nos camuflamos e nos uniformizamos como zebras em uma savana.
Acho que o respeito ao qual você se refere no texto tem que ser extendido para todo e qualquer convívio e não apenas entre os amigos.
Eu não experimento muitas coisas novas, tenho um jeito marrento de pensar e de analisar o comportamento alheio, acabo agindo como um juíz da moral. Por isso disse que minha opinião era cínica.
Grande abraço e ótimo trabalho aqui no blog!

Mara Vanessa disse...

É incrível a descoberta que você acaba fazendo quando decide, deliberadamente, ignorar o que está pré-fabricado.

Algumas pessoas aprendem a fazer isso, todos os dias.

--

'Y a des gens qui savent exprimer
La grandeur de leurs sentiments...'

:)

Obrigada.

Roberto disse...

Orra, eu curti pra caralho "O Caçador de Pipas"!