segunda-feira, junho 22, 2009

Do Fanatismo

"Eu sou o alfa e ômega (alou grécia)"

Qual o problema da falta de noção criada pela mídia e facilmente absorvida pelo povo? Incrível como o que as pessoas com um poder hierárquico mais alto conseguem, de certa forma, mostrar que seus pontos de vista estão corretos sem ao menos fazer um maldito esforço. Facilmente sua argumentação é aceita pela população, principalmente aquela sem informação. Isso serve parra todo o tipo de coisas. Mas hei de comentar sobre o fanatismo religioso.
Inicialmente o fanatismo que existe nas igrejas derivadas do cristianismo é fato conhecido por todos. O dízimo que as pessoas que não tem dinheiro nem pra comer exigido pelos templos evangélicos. Inclusive existem máquinas para passar o cartão de crédito ou de débito caso a pessoa não tenha dinheiro vivo. Tudo isso para os bispos irem passear no exterior. Ou o fanatismo do povo islâmico. Ou os judeus ortodoxos. Não é uma crítica à religião em si, até porque, enquanto a fé faz bem para a pessoa ela deve seguir. Não discuto isso. Mas a própria igreja prega o bem estar do povo e ao mesmo tempo usa isso para que as pessoas acabem por bancar a igreja. Obviamente que o templo é uma loja e o seu produto, a salvação. É fácil vender isso. O que acho cretino é que as pessoas acham errado o consumo de alguns objetos, mas dar dinheiro é correto. O exemplo no link é um fato consumado. A pessoa sem nenhuma informação resolve usar alguns símbolos bíblicos para criticar uma marca mas é a mesma pessoa que está bancando ou tirando o dinheiro do povo para seu bel prazer. Outra coisa bizarra que assisti esses dias foi no Super Pop. Sim o Super Pop. Aquele programa da Luciana Gimenez. Estava eu trocando de canal quando me deparo com a manchete "Fim do mundo em 2012 previsto por astróloga.". Resolvi assistir um pouco para ver o que saía. Afinal sempre sai uma besteira ou outra. Nesse século, que eu me recorde já passamos por uns dez fins do mundo. Enfim tinha lá um padre católico dizendo que as únicas pessoas que vão se salvar do Juízo Final são os católicos. Nem budistas, nem judeus, nem islâmicos, nem ninguém. Ou seja o Deus de amor católico na verdade é um Deus maldoso que segrega as pessoas e derruba os conceitos de igualdade. Não existe igualdade. Ou você é cristão e vai pro paraíso ou prepare-se para o lago de enxofre. Engraçado como uma religião que vende a salvação, ajuda os pobres e procura sempre a igualdade de todos no mundo, deixa um padre ir falar qualquer asneira na televisão. Se eu estivesse no setor de marketing da igreja, com certeza eu tiraria o padre de sua função. A propaganda da igreja já vem enfraquecendo há tempos, e com uma pessoa dessa denegrindo ainda mais a imagem da igreja é fato que: ou as pessoas vão mudar de religião ou simplesmente se tornarão 'infiéis'. A igreja católica e seu rastro de sangue cometendo mais uma gafe.
O que procuro dizer aqui é que fanatismo não é bom em nada. Te cega para quase tudo. Você não consegue ver o outro lado da coisa. E todo mundo sabe que tudo tem dois lados. Seja no futebol, com pessoas chorando porque o time perdeu ou brigando pelo time; seja na religião por uma simples questão de conceitos; ou em qualquer outro patamar que permita a oposição extrema.
Saudações

PS: Isso é só um comentário sobre o fanatismo

4 comentários:

wendell penedo disse...

Quem dera a propaganda da igreja enfraquecesse e o povo virasse infiel. A religião é um câncer, que na nossa sociedade está se expandindo e ganhando um braço político assustador. Não faltam péssimos exemplos nomundo mostrando que religião e política são extremamente perigosas quando unidas.

Eles têm a maior rede de comunicação, têm uma indústria fonográfica forte, dinheiro que nunca precisa ser declarado. Pô, meio que fodeu, e ninguém tá discutindo isso.

Enquanto essa muleta servir ao fracos, e a culpa da morte do seu salvador for um bônus que você ganha quando nasce e nunca questiona, não acho que haja qualquer tipo de esperança na mudança. Religião é fé institucionalizada, capilatizada. Como se desmonta uma das maiores máquinas de fazer dinheiro e colocar cabresto?

Nane disse...

Eu digo que tudo o que acontece é por falta de conhecimento bíblico. Em nenhum momento a bíblia respalda o que eles fazem e pregam.

Os que levam a sério, não são percebidos.

=]

Ana. disse...

Não julgo os fanáticos religiosos, mesmo porque é algo que está completamente por fora da minha compreensão. E olha que eu tentei entender, hein.
Se neguinho compra a ideia, indiferente da religião, e isso faz com que se sinta bem, ótimo. Parabéns mesmo. A partir de agora ele pode colocar a cabeça no travesseiro e dormir sossegado porque tem um cara super gent' fina que vai protegê-lo. Era ou não era a ideia original?
Mas desse sentir-se bem pra mudança pessoal/social/política/caralhoaquatro completa, a privação de prazeres, a prepotência sem sentido e essa alienação toda é simplesmente demente. E esse coronelismo todo tá longe de acabar.
Em suma: fanático religioso
não passa de um pobre otário que não tem pra onde correr.


PS.: Capilatizar seria um bom verbo. É sonoro.

ivan delgado disse...

Acabar acho que não vai nunca. Afinal um bando de gente pobre e desgraçada que não tem o que comer. Como ja dissemos uma vez deveriamos abrir uma igreja que da mais dinheiro que banco.