quinta-feira, julho 23, 2009

Dos Templos

"Salve, também, uma árvore"

A religião, seja ela qual for, sempre foi muito capaz de conseguir vender o produto e colocar as suas idéias na mente de muita gente. Desde épocas muito antigas, o marketing dessa poderosa instituição foi potente e criativo atraindo, com isso, numerosos fiéis para sua hierarquização completa e o funcionamento perfeito do templo.
Os egípcios, romanos e gregos possuíam gênios engenheiros, com criatividade e empenho de sobra, criadores de máquinas para que templos atraíssem milhares de fiéis em todos os seus cultos. Além de conhecer de uma forma muito abrangente o posicionamento dos astros e constelações e, utilizando-as para criar seitas cada vez mais realistas, onde as pessoas passassem a acreditar vêemente na existência dos Deuses. Engenhocas gregas que levitavam carruagens nos templos durante uma certa hora do dia. Mecanismos que abriam portas automaticamente ao serem lançadas oferendas no altar. Tudo baseado em hidráulica e outros tipos de mecanismos que facilmente eram ativados por pressão atmosférica, ou até mesmo mecanismos magnetizados. As religiões também eram criativas para punir os seus infiéis.
Os índios americanos possuiam um conhecimento invejável, também, na engenharia e estudo da astrologia. Existe uma pirâmide Maia, que possui a imagem de uma Cobra gigantesca que acompanha a escadaria. Nos solsticios acontece um fenômeno interessante, onde o sol passa pela estátua dando um efeito de ondulação, como se a cobra estivesse viva. Esse sítio arqueológico é muito visitado hoje em dia, principalmente nessas épocas do ano.
A própria Igreja Católica em sua história, conseguia prender os fiéis à sua temática, mesmo que fosse de uma forma mais bruta. Subordinando e tornando o povo ignorante, sempre conseguiu manter o povo 'na linha'. Os Judeus com sua tradição ortodoxa familiar.
O que me impressiona é que hoje em dia, quase tudo isso se perdeu. Não existe mais a criatividade nem a propaganda para se atrair consumidores da salvação. Muita gente não se impressiona mais com os discursos sobre o lago de enxofre e a compra do terreno no reino dos céus. Já está na hora das religiões, como um todo, começarem a tratar bem os seus consumidores, pois o resto das empresas e instituições já tem mais seguidores devido à sua criatividade para discursos. Claro que as religiões possuem o mesmo produto faz muito tempo e é bem mais díficil se renovar nas suas estratégias de marketing. Mas ao mesmo tempo, o produto já é conhecido que pode levar a criação a atingir outros patamares para recuperar fiéis.
ONGs e empresas privadas possuem estratégias de meio ambiente que 'conscientizam' mesmo que involuntariamente as pessoas a fazer o bem. Esse 'fazer o bem' é a única estratégia dos templos e eles estão precisando de algo mais. Fica ae a dica. E o meu Curriculum Vitae.

Cordiais Saudações

3 comentários:

Roberto disse...

"Não existe mais a criatividade nem a propaganda para se atrair consumidores da salvação."

Discordo... Vide igreja universal do reino de deus / edir macedo...

Giovana Oliveira disse...

Falando em seguidores, vi uma igreja aqui da região que possui twitter. (podre).

Marquinho Pagetti disse...

Não tem + propaganda?
Quer marketeiro melhor que os fiéis evangélicos, que, seja numa reunião no natal, seja caminhando nas ruas, sempre estão caçando adeptos: "se converte!! deus tah te esperando!! vamo lá!!" (dentre outras...)